Bancos negociaram quase R$ 200 bi em ‘créditos podres’ nos últimos 3 anos

A piora da inadimplência por causa da recessão gerou um volume bilionário de créditos em atraso no País. O movimento obrigou os bancos a intensificar a venda dessas operações para empresas especializadas em cobrança, em um mercado conhecido como o de “créditos podres” – dívidas que já estão há bastante tempo vencidas e, portanto, de difícil recuperação. A estimativa é que as instituições financeiras movimentem entre R$ 30 bilhões e R$ 40 bilhões em créditos podres este ano, ante uma média de R$ 20 bilhões a R$ 25 bilhões negociada nos últimos anos, segundo fontes ouvidas pelo ‘Estadão/Broadcast’.

Para continuar CLIQUE AQUI

Com dívidas de R$ 7,8 bi, empresa dos Bertins entra em recuperação judicial

O Grupo Heber, controlado pela família Bertin e que atua em infraestrutura e agronegócios, entrou na terça-feira com pedido de recuperação judicial. As dívidas declaradas da empresa somam R$ 7,85 bilhões. No processo, foram incluídas dez companhias que fazem parte desse conglomerado, entre elas, a Cibe e a Contern, que formam a concessionária que administra o Rodoanel Sul e Leste, em São Paulo.

A companhia terá 60 dias para apresentar um plano de reestruturação do total das dívidas aos credores, que incluem bancos públicos, como Caixa e Banco do Brasil, e fornecedores. Após a apresentação dessa proposta, os detentores dessas dívidas terão 120 dias para discutir e aprovar o acordo.

Para continuar CLIQUE AQUI