Grupo J&F, dos irmãos Batista, acerta venda da Vigor para mexicana Lala

O grupo J&F fechou nesta segunda-feira, 31, a venda da Vigor para o grupo Lala, do México, por R$ 5,7 bilhões. Segundo fontes a par do assunto, o contrato ainda não foi assinado, mas o negócio é dado como certo. Faltaria apenas a aprovação dos conselhos das companhias envolvidas para que o contrato seja assinado. A expectativa é que isso ocorra dentro dos próximos dias.

A Vigor faturou R$ 5,2 bilhões em 2015, último ano com dados disponíveis, e também é dona das marcas Leco, Faixa Azul, Danúbio e Serrabella, entre outras. Também tem participação de 50% na Itambé, em parceria com a Cooperativa Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais (CCPR). Os assessores do negócio foram o BTG (pelo lado do Lala) e Bradesco BBI e Santander (J&F).

Para continuar CLIQUE AQUI

Michael Kors paga US$ 1,2 bi pela empresa de sapatos Jimmy Choo

A marca favorita de sapatos da personagem Carrie Bradshaw – interpretada pela atriz Sarah Jessica Parker na série Sex and the City – acabou de ganhar novo dono no mundo real: o designer Michael Kors, dono da grife de mesmo nome, anunciou ontem a compra da empresa de sapatos Jimmy Choo por US$ 1,2 bilhão.

CLIQUE AQUI 

Após fechamento em massa de lojas, Água de Cheiro tenta novo recomeço

Rede de perfumarias, fundada há 40 anos, chegou a ter mais de 900 unidades no País

Em 40 anos, a rede de perfumaria Água de Cheiro está entrando na quarta fase de sua trajetória. O caminho da marca foi cheio de percalços: fundada por uma família mineira, em 1976, a empresa alternou fases de expansão – chegando a mais de 900 lojas – e profundas crises, que culminaram numa recuperação judicial. Agora, mais uma vez, a empresa recomeça pelas mãos do grupo Narsana, que adquiriu os direitos da marca em leilão judicial em novembro de 2016 por apenas R$ 6,6 milhões, após a antiga Água de Cheiro deixar uma dívida de cerca de R$ 70 milhões.

Para ler matéria completa CLIQUE AQUI

O Processo Sucessório e as Empresas Familiares mais antigas do mundo!

Sem dúvida nenhuma, o empreendimento familiar representa o tipo de empreendimento mais duradouro que existe. De acordo com O’Hara (http://www.cojoweb.com/ref-companies-worlds-oldest.html), “Antes das corporações multinacionais, havia a empresa familiar. Antes de Revolução Industrial, havia a empresa familiar. Antes da contribuição da Grécia e do Império Romano, havia a empresa familiar”.

Não há “milagre” no desenvolvimento de uma empresa. Há sim, muito “sangue, suor e lágrimas”…

É a trajetória do fundador (a) que determina o seu sucesso empresarial, seus valores respaldam a organização, todos os altos e baixos que teve que enfrentar; os percalços e conquistas, a  perseverança para realizar seu sonho.

Banco de escola ajuda, mas não oferece a bagagem necessária para que o filho suceda a pessoa forte que montou a empresa, e que muitas vezes sacrificou tudo para que os negócios prosperassem.

Portanto, o êxito da sucessão está no fato de ser planejada. A sucessão deve ter regras, inclusive com etapas a serem cumpridas pelo sucessor, e resultados mensuráveis durante o período de qualificação. O processo demanda tempo para formar e desenvolver o sucessor, e uma boa dose de disposição e disponibilidade por parte de quem vai conduzir este processo.

O ideal é que o fundador seja o mentor do sucessor. Ninguém conhece a empresa melhor do que ele.

Abaixo estão alguns dos negócios familiares mais antigos do mundo:

 

Kongo Gumi – Japão

Atividade: Construção

Fundação: 578

Está na 40ª geração

Na Internet: www.kongogumi.co.jp

O príncipe Shotoku trouxe da Coréia membros da família Kongo para o Japão há mais de 1.400 anos para construir o templo budista Shitennoji, que existe até hoje. Por muitos séculos, a Kongo Gumi participou de várias construções famosas, inclusive do castelo de Osaka no século XVI. Até há pouco a família continuava a construir e reformar templos religiosos. Infelizmente a empresa encerrou suas atividades em 2007. Consta aqui apenas como referência porque, ao que tudo indica, é a mais antiga do mundo que chegou até os dias de hoje.

 

Houshi Ryokan – Japão

Atividade: Hospedagem

Fundação: 718

Está na 46ª geração

Na Internet: www.ho-shi.co.jp/jiten/Houshi_E/

De acordo com a lenda, a divindade da Montanha Hakusan falou em sonho com um monge para revelar que havia uma fonte de águas termais curativas numa vila próxima chamada Awazu. A fonte de água quente foi encontrada e o monge pediu que a família Houshi construisse e administrasse um spa neste local. Este hotel tem hoje a capacidade de receber cerca de 450 pessoas.

 

Château de Goulaine – França

Atividade: Vinhedo, Museu e Coleção de Borboletas

Fundação: 1000

Na Internet: chateau.goulaine.online.fr

A famíliar Goulaine administra este estabelecimento há mais de 1.000 anos. O castelo, além do museu, disponibiliza uma coleção de borboletas raras e organiza vários eventos, inclusive casamentos. O vinho pode ser adquirido nos vinhedos do castelo.

 

Fonderia Pontificia Marinelli – Itália

Atividade: Fundição

Fundação: 1000

Na Internet: www.campanemarinelli.com

Esta fundição de sinos foi estabelecida em Agnore, na Itália, no ano 1000. Agnore é uma pequena cidade localizada no alto dos montes Apeninos. Os administradores desta empresa ainda aplicam as mesmas técnicas, que utilizam cera, usadas pelos fundadores da firma (um “sino falso” de cera é recoberto com metal). O badalar dos sinos da Fonderia Pontificia Marinelli é ouvido no mundo todo: Nova Iorque, Beijing, Jerusalém, América do Sul e Coréia. O empreendimento familiar atualmente emprega 20 pessoas. Entre estes funcionários há 5 membros da família Marinelli. Atualmente a empresa é administrada por Pasquale Marinelli. Em 1997 a firma abriu um museu onde é mostrado o trabalho de um irmão de Pasquale, o escultor italiano Ettore Marinelli.

 

Barone Ricasoli – Itália

Atividade: Vinhos e azeite de oliva

Fundação: 1141

Na Internet: http://www.ricasoli.it

Fundada em Siena, na Itália, em 1141. As primeiras terras foram doadas aos barões Ricasoli pela República de Florença no século XII. Hoje a propriedade tem mais de 14 km quadrados.

 

Barovier & Toso – Itália

Atividade: Vidros

Fundação: 1295

Está na 20ª geração

Na Internet: http://www.barovier.com

Durante séculos a família Barovier produz vidro cristalino, vidro madre-pérola e vermelho corneliano isento de ouro na Ilha de Murano, a 10 minutos de distância de Veneza pelo ferry-boat. Em 1936 os Baroviers fizeram uma fusão com a família Toso, também fabricantes de vidro em Murano.

Definitivamente, a Empresa Familiar é um grande negócio!

Livraria Cultura anuncia compra da Fnac no Brasil

A Livraria Cultura anunciou nesta quarta-feira a compra da operação da Fnac Brasil. O valor do negócio não foi revelado. O negócio foi fechado cinco meses depois de a rede francesa comunicar a intenção de se retirada do Brasil, onde possuí 12 lojas em sete estados.

Para continuar clique aqui.

Conselho de administração e Governabilidade na gestão de crise as empresas familiares

O fundador de uma empresa familiar é, comumente, uma pessoa solitária na sua posição de gestor corporativo.

Muitas vezes sua tomada de decisão é precedida de conflitos pessoais; com frequência, não tem com quem dividir o “peso” de suas responsabilidades.

Leia mais