Ricca & Associados

Compra de 11% da HP por Warren Buffett pode não ter sido uma boa ideia; entenda

A menos que a HP cresça mais rápido do que os investidores esperam, ação está supervalorizada, com preço-alvo de US$ 29.

Warren Buffett, classificado como o 5º homem mais rico do mundo pela Forbes, com um patrimônio líquido de mais de US$ 125 bilhões (R$ 593,8 bilhões, na cotação atual), tem um histórico misto quando se trata de investir em ações de tecnologia. A Apple tem sido um grande investimento para ele – IBM e Oracle nem tanto.

Buffett voltou a ocupar o lugar de investidor de tecnologia. De acordo com o Wall Street Journal, ele agora é o orgulhoso proprietário de uma participação de 11% na empresa de computadores HP. Mas está na hora de comprar ações da HP?

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Aqui estão quatro razões para acreditar que não:
Os produtos da HP não têm apelo internacional
Os clientes não sentem necessidade de comprar produtos da empresa
HP não tem conseguido manter a liderança
Buffett não tem uma visão completa da indústria de computadores

Investimento de Buffett na HP
A Berkshire Hathaway, empresa do gigante dos investimentos, revelou a aquisição de quase 121 milhões de ações da HP em 6 de abril, de acordo com o Wall Street Journal.

Depois que o mercado teve a chance de digerir essa notícia, o valor de seu investimento saltou 14,75%, ou US$ 650 milhões, passando de US$ 4,2 bilhões para US$ 4,85 bilhões, segundo a CNBC

Buffett, que agora é o maior acionista da HP, está apostando em uma empresa com história. Em 1939, dois graduados de Stanford, Dave Hewlett e William Packard, fundaram a Hewlett-Packard Co. em uma garagem de Palo Alto.

Em 2015, a então CEO Meg Whitman dividiu a empresa em duas: a HP, que vende computadores e outros produtos para consumidores e pequenas empresas, e a Hewlett Packard Enterprise, que se concentra em clientes empresariais.

Por que Buffett apostou na HP?
Ele deu uma pista em sua carta de fevereiro de 2022 aos acionistas, escrevendo:
“Seja qual for nossa forma de propriedade, nosso objetivo é ter investimentos significativos em negócios com vantagens econômicas duráveis e um CEO de primeira classe. Possuímos ações com base em nossas expectativas sobre seu desempenho comercial de longo prazo e não porque as vemos como veículos para movimentos de mercado oportunos”.

Desde que a HP foi separada da HPE, em 2015, ela migrou para os mercados corporativos. Hoje, ela fornece “computação pessoal e outros dispositivos de acesso, produtos de imagem e impressão e tecnologias, soluções e serviços relacionados a consumidores individuais, pequenas e médias empresas (SMBs) e grandes empresas, incluindo clientes nos setores governamental, de saúde e educação ”, de acordo com a CNBC.

A HP, cujas ações fecharam em máxima histórica em 7 de abril, elevou sua perspectiva de lucro para 2022 no final de fevereiro, após relatar fortes vendas de computadores no 1º trimestre de 2022, mas alertou que a invasão da Rússia da Ucrânia deve amortecer o crescimento no trimestre atual, observou o Journal.

As receitas da HP cresceram modestamente, embora tenham superado as metas de lucro e receita. A receita da empresa aumentou 9%, para US$ 17 bilhões – US$ 500 milhões a mais do que as expectativas dos analistas. O lucro por ação de US$ 1,10 ficou oito centavos acima do consenso, de acordo com a SiliconAngle.

A HP ainda contou com a maior parte de sua receita e crescimento nas vendas de computadores desktop e laptops, que aumentaram 15%, para US$ 12,2 bilhões, representando 72% de suas vendas totais no ano.

A companhia está otimista sobre seu desempenho e perspectivas. Como o CEO Enrique Lores disse: “Nosso desempenho no primeiro trimestre foi forte em nossas principais áreas de crescimento, que coletivamente cresceram dois dígitos. Isso inclui jogos, soluções de trabalho, assinaturas de consumidor, gráficos industriais e 3D. Nosso desempenho reflete o progresso em relação à estratégia de construir uma HP mais forte.”

Em março, a HP adquiriu a Poly, fabricante de produtos de comunicação no local de trabalho, por US$ 1,7 bilhão, com base em sua expectativa de que a demanda por trabalho híbrido continuará. Lores espera que o novo “mundo híbrido”, onde as pessoas trabalham e se divertem, provavelmente permaneça “no futuro próximo”, de acordo com MarketWatch.

De fato, se há algum apelo possível para os negócios da HP, é nesse futuro híbrido. A empresa tem metas de crescimento agressivas para a Poly, com base na crença de que sua força na cadeia de suprimentos pode limpar a crescente carteira de pedidos. E a HP provavelmente está de olho em outras jogadas em potencial em produtos de hardware – tudo para aumentar sua exposição a uma força de trabalho híbrida que divide seu tempo entre casa e escritório”, observou o Journal.

Infelizmente, parece que o alto preço das ações da HP não prevê um crescimento mais rápido à frente. Embora a demanda por notebooks e desktops tenha crescido rapidamente durante a pandemia, os analistas de mercado preveem que o crescimento das remessas diminuirá consideravelmente.

A IDC, empresa de inteligência de mercado, espera que a demanda por dispositivos de computação pessoal diminua em 2022. Nos cinco anos até 2026, ela prevê um crescimento anual composto de 3,3%, impulsionado principalmente pelas vendas de notebooks. Jitesh Ubrani, gerente de pesquisa da Mobility and Consumer Device Trackers da IDC, disse que “o mercado superou o pico de demanda de PC pandêmico”, de acordo com o eMarketer.

A HP atingirá suas metas de crescimento agressivas para híbridos ou ficará aquém? Há pouca base para saber e não se sabe por que Buffett está disposto a apostar mais de US$ 4 bilhões nisso.

Como Buffett toma decisões de investimento
Vamos dar uma olhada em como Buffett toma decisões de investimento para avaliar se a HP se encaixa no projeto. O sócio de Buffett, Charlie Munger, fez um bom trabalho ao resumir como Buffett pensa sobre investimentos.

Munger criou um personagem chamado Mr. Glotz, inspirado em Buffett. De acordo com seu discurso em 1996, Glotz é um investidor hipotético que está procurando oportunidades para transformar US$ 2 milhões em US$ 2 trilhões nos próximos 150 anos — a uma taxa de crescimento anual de 10%.

A conversa de Munger revelou que ele acreditava que a Coca-Cola era uma empresa assim. Ele sugeriu que Glotz escolhesse essas empresas ouvindo por 15 minutos o discurso do CEO.

Entre o Sr. Glotz e uma entrevista de 1998 com Buffett, aqui estão três testes que uma empresa deve satisfazer para obter um investimento de Buffett:

Construiu uma competitividade global graças a uma marca forte e a um “apelo universal”?
Aproveitou “forças elementares poderosas” que trazem vontade aos consumidores de comprar quase de forma viciante?
Buffett poderia entender o negócio?

Os produtos da HP carecem de apelo universal
Admito que as pessoas compram produtos HP. No entanto, a HP não é líder de mercado em desktops e PCs – onde está atrás da Lenovo. Mais especificamente, de acordo com a IDC, no último trimestre de 2021, a participação de mercado mundial de PCs da Lenovo foi de 23,4%, HP (20,1%), Dell (18,6%) e Apple (8,2%).

sso diz que HP é um dos muitos participantes importantes no setor de desktops e PCs — mas seu apelo não é universal.

Não há necessidade viciante para os clientes comprarem os produtos da HP
Ao contrário da Coca-Cola ou da Apple, as pessoas não têm uma necessidade viciante de comprar produtos HP. Em geral, não há nada excepcionalmente atraente nos produtos da companhia.

As pessoas podem comprar um desktop ou notebook e, quando não quiserem mais, podem comprar outro de vários fornecedores – Dell, Lenovo, Apple e outros – e funcionará muito bem.

De fato, com base na satisfação do cliente, a HP está indo bem, mas está atrás da Apple, e seus pares estão indo quase tão bem quanto a HP. Como assim? De acordo com o American Customer Satisfaction Index, a pontuação da Apple em 2021 (82) liderou o setor – à frente da HP (80), Acer (79), Samsung (79), Dell (78) e Lenovo (78).

HP não tem liderança
Na minha opinião, uma empresa deve ter uma liderança no seu setor para que os concorrentes não consigam superá-la. Como a HP não conta com esse artfiício e existem muitos rivais com recursos de produtos comparáveis, de acordo com a análise ACSI de 2021, concordo com a Morningstar, que a chama de “HP sem liderança”.

Buffett não tem uma visão avançada da indústria de computadores
Não sei o que Buffett sabe sobre a indústria de computadores. No entanto, ele era famoso na década de 1990 por se recusar a investir em seu amigo, a Microsoft de Bill Gates, porque não podia prever onde a indústria estaria em uma década.

No entanto, Buffett fez investimentos em alguns dos maiores nomes do setor – incluindo IBM, Oracle e Apple. Sua posição é de longo prazo na IBM, enquanto teve uma aventura de curto prazo com a Oracle, empresas que não trouxeram ganhos, de acordo com o Journal.

Mas sua aposta na Apple, que começou em 2016, compensou muito bem. Desde então, o valor de mercado da fabricante do iPhone aumentou mais de cinco vezes, para pouco menos de US$ 3 trilhões. A Apple é agora o maior investimento da Berkshire em uma empresa que não controla o valor de mercado”, observou o Journal.

Admiro o sucesso de Buffett com seu investimento na Apple e, com base em minhas conversas com alunos sobre a Apple ao longo da última década, estou convencido de que a Apple exemplifica as qualidades de apelo universal, dependência e uma alta liderança, que falta à HP.

Outra opção é que Buffett tenha uma visão superior de como a HP criará um negócio para trabalhadores híbridos com essas características ou há algum outro motivo pelo qual ele comprou tantas ações.

Até onde posso dizer, as ações da HP são baratas com base no preço-lucro. Como o Journal informou, sua relação preço/lucro esperado de 8,0x para os próximos 12 meses é “modesta em comparação com a indústria”

A menos que a HP cresça mais rápido do que os investidores esperam e aumente sua orientação, concordo com a Morningstar que a ação está supervalorizada, com preço-alvo de US$ 29.

Leia mais em: https://forbes.com.br/forbes-money/2022/04/compra-de-11-da-hp-por-warren-buffett-pode-nao-ter-sido-uma-boa-ideia-entenda/

 

 


Deprecated: O arquivo Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /home/empresafami/public_html/wp-includes/functions.php on line 5579

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.