Morre Lee Iacocca, o executivo que se tornou sinônimo de automóvel

Morreu nesta terça-feira, na Califórnia, Lee Iacocca , um dos nomes mais importantes da indústria automotiva dos Estados Unidos. Além de criar o lendárioFord Mustang , ele foi responsável por transformar aChrysler , na década de 1980, de uma empresa à beira da falência numa das maiores montadoras do mundo. Iacocca tinha 94 anos e morreu por complicações do mal de Parkinson.

Lido Anthony Iacocca nasceu em 1924, filho de um imigrante italiano vendedor de cachorro-quente. Ele mudou seu primeiro nome para Lee e fez história na indústria automotiva, ao comandar duas das três grandes montadoras americanas. Um visionário, que dirigiu a Ford Motor e depois a Chrysler, personificando Detroit como a fábrica de sonhos da paixão americana pelo automóvel.

Nas décadas de 70 e 80, seu nome evocava suítes executivas, disputas internas e jogos de poder. Ele era tão admirado que, em 1988, falou-se que ele deveria lançar sua candidatura à Presidência.

Seus críticos o consideravam um executivo maquiavélico, que subiu ao poder em seus 32 anos na Ford. Na empresa,  Iacocca chamou a atenção de  Robert S. McNamara , então vice-presidente da montadora e futuro secretário da Defesa dos EUA.

Sob a proteção de McNamara, ele aprendeu a ser um executivo, fosse comandando reuniões ou lidando com rivais. Iacocca sucedeu McNamara na vice-presidência da Ford em 1960, e, quatro anos depois, marcou seu lugar na história ao lançar o Mustang, que apelava a motoristas de todas as idades que sonhavam com um carro esportivo.